22 de agosto de 2012

Senta que lá vem resenha: Resident Evil - A Conspiração da Umbrella

2 comentários :
Lembro-me quando um amigo meu de twitter pediu pra eu fazer essa resenha, antes tarde to que nunca. Quando eu descobri que existiam livros de Resident Evil desde 1997 muito me interessei em ler o mesmos e até os achei em pdf uns anos atrás mas não me animei nem um pouco pra ler, não gosto de nenhum tipo de livro digital pra se ler olhando a tela, isso tira totalmente o prazer de se ler um livro de verdade, mas enfim, essa não é a questão, vou tentar falar de forma clara o que achei do primeiro livro que eu li da serie (que só foi lançado em 2012 no Brasil... isso mesmo) Resident Evil - A Conspiração da Umbrella.

 Tudo começa começa com Jill em sua casa, e logo aí já vemos que a autora S.D. Perry foi dando mais profundidade para todos os personagens, sendo assim Jill tem amigas, e a vizinhança em que ela mora é totalmente detalhada, dando um universo mais abrangente da personagem e também de Raccoon City.

No livro ela é retratada como uma ex-ladra que tinha seguido o caminho do pai, Dick Valentine, explicando o talento natural dela para abrir portas trancadas (gamers vão se lembrar da lendária Lockpick). Eu não achei essa mudança tão dramática, e achei que foi até bem introduzida na história do livro, mesmo porque na história Jill já faz parte do S.T.A.R.S e abandonou todos os seus velhos hábitos.
 Falando em S.T.A.R.S, temos uma mudança muito brusca em como ela é colocada na história, não sei se isso vai interferir em próximos livros mas nos games a famosa equipe é fundada (por Michael Warren) especialmente para atuar somente na jurisdição de Raccoon City e nenhum lugar a mais. Porém nos livros, a autora nos brinda com uma coisa bem maior pro grupo, S.T.A.R.S atua em diferentes cidades dos Estados Unidos, tendo obviamente muitas equipes e uma delas está localizada em Raccoon City.

 O resto dos personagens, Chris que está muito legal na história, Barry (um dos meus preferidos, depois da Jill e ele está muito fiel) e também Rebecca, inteligente e corajosa, até os outros integrantes das equipes do S.T.A.R.S (que só foram feitos pra morrer, né, sejamos francos) estão retratados com total fidelidade, e cada um tem personalidades distintas. Um elemento crucial da história original, o envolvimento de chantagem feito por Wesker pra cima de Barry funciona com louvor nesse livro e deixa até tudo melhor narrado.

A parte em que eles tem uma reunião na delegacia até a mansão e seu final é muito bem detalhada, tão bem detalhada que as vezes você se confunde um pouco em que direção o personagem tomou, mas nada que tire a magia do livro.

 Um comentário final, falando da edição que a editora NewPop deixou ser publicada... Poderiam ter revisado um pouco melhor, não? O livro está cheio de erros bobos, não comprometem o entendimento, mas são erros tão bobos que você se pergunta se alguém realmente revisou aquilo. Enfim, o livro em si é ótimo, o desenrolar da história é muito bem encaixado. Eu recomendo muito para todos!

2 comentários :

  1. Muito bom! Tô pra começar a ler faz um tempo. *o*

    ResponderExcluir
  2. É muito bem escrito (tirando os errinhos) e te prende!

    ResponderExcluir