29 de janeiro de 2017

Senta que lá vem resenha: La La Land

Nenhum comentário :
 Às vezes nestes emaranhados e filmes/remakes meia-tigelas encontramos alguns obras que mesmo simples (para os padrões de hoje), conseguem teleportar todos para o imenso e infinito universo juntamente da magia do cinema.


 La La Land (2016) é um filme americano dirigido e escrito por Damien Chazelle, o mesmo diretor de Whiplash. Tendo como seus protagonistas Emma Stone (Mia), Ryan Gosling (Sebastian), conta a historia de uma futura atriz e de um músico que se conhecem e se apaixonam em Los Angeles.

 A historia do filme ao mesmo tempo em que é pé no chão, também mergulha de cabeça no que pode-se chamar de magia do cinema e através disso o filme nos dá uma experiência muito necessária nos filmes contemporâneos: a oportunidade de ser capaz de sentir tudo o que os personagens passam em um nível profundo, seja através das atuações, canções ou da imaginação.

 A química de Emma Stone e Ryan Gosling é uma das coisas que provocam esse sentimento mágico, Mia é quem faz o papel de amante do cinema e o filme homenageia de forma magistral os aspectos da sétima arte e ao mesmo tempo surpreende com os efeitos simples, mas lindos.


 Sebastian incorpora o papel do amante da música (principalmente do Jazz), que leva o espectador e Mia para o ambiente musical, onde tudo pode ser sentido se realmente prestar atenção na melodia e nos músicos que a tocam. E é justamente nisso que o espectador devia focar, em prestar minuciosa atenção no filme, nos personagens e nas canções, para tirar o máximo que a obra oferece.

 Junto da magia e da música está o visual incrível do filme. É fácil perder-se  nos visuais em nível de pintura que o filme apresenta, é realmente uma oportunidade magnífica de poder ver um filme que usa tão bem de todos os artifícios do cinema (como atuação, visual, trilha sonora, montagem) para apresentar uma obra estonteante.


 O filme poderia ter mais momentos musicais, mas isto não atrapalha o desenvolvimento dos personagens principais e da historia. Se você gosta de musicais, não pense duas vezes e assista La La Land. Uma experiência mágica te aguarda. Nota 9/10.

 Esta resenha faz parte do meu especial em que publicarei textos sobre todos os filmes indicados a "Melhor filme" do Oscar, então fiquem atentos!

Nenhum comentário :

Postar um comentário