18 de dezembro de 2015

Senta que lá vem resenha: Star Wars: Episódio VII - O Despertar da Força

Nenhum comentário :
 Do momento que a tela escureceu e o logo "STAR WARS" apareceu na tela, todos começaram a gritar e aplaudir. Foi quando notei que estava entre fãs, de longa ou curta data, esse momento belíssimo vai ficar marcado em mim. Star Wars voltou de um jeito incrível com um belo filme. Essa resenha tem spoilers.


 O Despertar da Força é um filme americano de fantasia/sci-fi e foi dirigido, co-produzido e co-escrito por J.J. Abrams. É o sétimo filme da franquia Star Wars e tem em seu elenco Harrison Ford (Han Solo), Carrie Fisher (Leia Organa), Mark Hamill (Luke Skywalker), Peter Mayhew (Chewbacca), Daisy Ridley (Rey), John Boyega (Finn), Adam Driver (Kylo Ren), Oscar Isaac (Poe Dameron), Andy Serkis (Líder Supremo Snoke), Domhnall Gleeson (General Hux), Gwendoline Christie (Phasma) e Lupita Nyong'o (Maz Kanata).

 Esse episódio é especial simplesmente pelo fato de que pega elementos do IV, do V e une com uma história completamente nova, com ainda mais novos elementos. Ao mesmo tempo em que muito do universo mudou em quase 30 anos, os personagens originais estão lá para nos puxar ao mundo da nostalgia, as referências e nos emocionar de uma forma que só essa franquia sabe fazer.

 Enquanto temos o retorno dos personagens clássicos, notamos que é a hora da nova geração de Star Wars brilhar. Rey, Finn e Kylo Ren. Todos eles, sem exceção, são carismáticos de seu próprio jeito. A química entre Rey e Finn é extremamente divertida de se presenciar, ainda mais hoje em dia em Hollywood que qualquer coisa resulta e um relacionamento amoroso, mas os dois personagens não, eles são amigos, são parceiros de luta.


 Rey demonstra muito potencial para tornar-se uma personagem grandiosa, talvez até igualmente a Luke Skywalker. Aliás, tem todo um mistério sobre quem Rey realmente é, sua origem, uns teorizam de que é filha de Han Solo, outros de que é filha de Luke. Talvez seja mesmo filha deste último, por causa de sua conexão forte com a Força.

 O protagonismo de Rey é muito importante para os dias de hoje, precisamos de mais mulheres protagonistas e é muito importante que algo do tamanho de Star Wars esteja colaborando ao passar essa mensagem para seu público.


 Finn, pode também ser grandioso, como um herói de guerra pela causa da resistência. Já dá para imaginar o papel que cada personagem terá no futuro e isso é muito animador.

 Podemos concluir no desenvolvimento do filme que vemos a construção de vilão do Kylo Ren. Ele ainda não é completamente "vilão", ele precisa fazer uma coisa para se desconectar totalmente do lado da luz antes de tornar-se um mestre completo do lado sombrio e isso vai ser extremamente interessante de se ver nos próximos filmes.

 Uma coisa interessante que notei, é que a ameaça dessa vez não é Sith, mas sim, simpatizantes do lado sombrio da Força. Assim como temos Jedis, Jedis Cinzas etc, temos os Sith e os Cavaleiros de Ren. Isso pode explicar muito a falta dos famosos "olhos amarelos" que eles demonstram.


 Falando da parte técnica, esse filme realmente nos dá a visão que tudo EXISTE! Desde a decisão de fazer criaturas de verdade até a de ter muitos cenários que não são uma tela verde (claro, ainda temos mas não são tão ruins/óbvios como foram nos episódios I, II e III) deixam a ambientação do filme excelente.

 Claro, o filme não é perfeito, eu achei que algumas partes passaram rápido demais, como por exemplo: Um personagem fala algo e do nada acontece uma coisa e ele fala algo logo em seguida rapidamente, mas não é nada que atrapalhe o filme, ele continua maravilhoso.

 A trilha sonora é linda como sempre. John Williams mostra sua paixão por Star Wars quando faz música épicas para as batalhas (sejam aéreas ou terrestres) ou para momentos mais emocionantes, que acredite, você verá.

 Você vai notar como a trilha colabora muito nas lutas ótimas com sabres de luz ou mesmo quando temos dezenas de naves se explodindo e distribuindo lasers em todas as direções. É muito nostálgico e incrível rever tudo isso voltando à vida.


 Ainda tem TANTA coisa para ser mostrada, tantos personagens para serem explorados, histórias para serem desenvolvidas e um exemplo da capacidade da franquia para ser algo maior é o Universo Expandido. Eu apenas torço para que não se repitam, porque criatividade para Star Wars é o que nunca vai faltar.

 O Despertar da Força é um filme de introduções, como foi o IV. Estabeleceu todos os personagens, vilões, nos deu uma boa explicação de como está a galáxia atualmente e agora só nos basta esperar o Episódio VIII para conferirmos a continuação deste ótimo e grandioso filme.

 Eu recomendo muito, é lindo, divertido, engraçado e não vai te decepcionar. Essa resenha foi dedicada a um dos melhores personagens existentes, Han Solo estará sempre em nossos corações. Volta, Luke, a galáxia precisa de você!

Nenhum comentário :

Postar um comentário